Melanie Martinez nega acusação de estupro por sua ex-melhor amiga

"Ela nunca disse não para o que escolhíamos fazer juntas", disse a cantora sobre o abuso sexual alegado por Timothy Heller

Há 1 semana, da Redação

Após ser acusada de estupro por sua ex-melhor amiga, Melanie Martinez usou suas redes sociais hoje (5) para dar uma resposta sobre as alegações de Timothy Heller, cantora que começou a carreira na mesma época em que Martinez. A voz de "Cry Baby" se disse chocada com as acusações, enfatizando que Heller "nunca disse não" ao que que fizeram juntas. Veja o texto traduzido abaixo:

"Estou chocada e triste com a história contada ontem à noite por Timonthy Heller. O que ela e eu compartilhamos era uma amizade muito próxima. Nós entramos na vida uma da outra em um momento em que ambas estávamos começando nossas carreiras como artistas, e tentávamos nos ajudar. A gente lidava com nossos próprios demônios e com os novos caminhos à nossa frente, e eu realmente senti que a gente se apoiava. Ela nunca disse não para o que escolhíamos fazer juntas. E apesar dos caminhos separados, estou enviando a ela amor e luz sempre", disse Melanie.

A cantora Timothy Heller também havia feito uso de seu perfil no Twitter para postar ontem (4) uma carta aberta, onde contou todos os detalhes do suposto abuso sexual sofrido por ela.

Leia a carta aberta traduzida:

"Eu segurei esse segredo por muito tempo, me convencendo de que não era tão importante e que eu não estava machucada com isso. A ideia de aceitar que minha melhor amiga me estuprou é insana. Até mesmo digitar isso não parece real para mim. Eu comecei a contar essa história como uma piada para amigos próximos tipo 'haha, você acredita nessa noite louca?!', porém comecei a receber respostas que não esperava. Respostas preocupantes. É difícil falar que alguém que você amou te estuprou. Alguém que você ainda ama. A ideia de escrever e todo mundo ver isso é assustadora. Especialmente por quem essa pessoa é. Ela era minha melhor amiga. Ela me acolheu, e eu sempre fui muito grata. Eu senti como se eu devesse a minha vida à ela. E minha vida começou a girar em torno dela. Eu tinha meus próprios problemas, mas se eu colocasse o foco na vida dela eu poderia deixar os meus problemas para lá por um tempo. Alguns dos fãs delas são meus fãs, mas a lealdade deles nunca saiu dela. Eles são dedicados. Ela é perfeita. Para o público, ela nunca erra. Ela está lá para os fãs. Ela entende isso, ela é diferente.

Quando ela se viu com uma amiga que precisava de ajuda, eu posso dizer honestamente que ela me decepcionou. Durante o período mais difícil da minha vida, o poder e o controle dela sobre mim não paravam de crescer. E eu fui silenciada. Quando eu me abria sobre quanta ajuda eu precisava, ela me fez sentir culpada. Eu tive que me desculpar com ela sobre um ataque de pânico que tive e tinha arruinado a noite dela. Vários incidentes desses. Eu virei um problema.

Sim, apesar de tudo eu pensei que a amava. Codependência funciona de várias maneiras. Na minha relação com ela, eu era dependente em ajudá-la com a vida dela. Sempre que eu precisava de um pouco mais de foco e ajuda da minha amiga, não tinha nada para nos identificarmos. Nossa amizade era sobre ela.

O poder que ela tinha sobre mim cresceu de um jeito em que eu não conseguia falar não para ela. Eu faria quase tudo por ela. Uma noite durante uma 'festa do pijama', ela começou a ficar cada vez mais interessada nas minhas preferências sexuais. Como alguém que já foi abusada, sexo é um tópico complicado para mim. Eu estava claramente desconfortável, mas ela era minha melhor amiga, eu tinha que me abrir sobre.

A conversa nunca parecia terminar. Eu tinha que trabalhar cedo no dia seguinte. Ela começou a perguntar pra mim enquanto estávamos na cama se eu faria sexo com ela. Mesmo estando muito desconfortável eu comecei a tentar rir disso, para ela esquecer. Eu tinha um namorado na época e ela sabia disso. 'Ele não tem que saber, não é tão estranho assim!'. E isso aconteceu por horas. Me perguntando o motivo de eu não querer, que seria legal. Eu disse várias vezes 'não'. Eu tinha que trabalhar de manhã. Eu só queria dormir. Eu estava exausta. Eu tentei dormir mas ela me manteve acordada a noite toda me implorando para dormir com ela. Era estranho, porém ela era minha amiga. Eu disse não e achei que tínhamos virado essa página.

Na outra noite infelizmente aconteceu do mesmo jeito. Mesmo com a minha resposta na noite anterior, ela não estava desistindo. Se ela tivesse pegado a dica ela nem ligaria. Eu estava exausta. Ela me convenceu a fumar maconha, e a partir do momento em que eu estava tendo dificuldade em dizer não para ela, eu aceitei, pensando que me ajudaria a dormir e a evitar a situação. A mesma conversa começou a acontecer. Sempre tentando me convencer de que seria normal e divertido. E eu dizia 'Meu namorado ficaria tão chateado! Eu preciso dormir! Eu trabalho amanhã cedo!'. Eu disse toda forma de 'não' que eu conhecia. Enquanto eu estava deitada rezando para dormir logo, ela começou a tocar meu braço. Eu deixei aquilo acontecer. Talvez ela desistiria. Isso aconteceu por uma hora. Eu comecei a ficar cada vez mais desconfortável. Eu comecei a rir dizendo que fazia cócegas. Eu não queria de maneira nenhuma fazer aquela situação virar algo sexual. 'Eu posso fazer só isso? Posso apenas tocar os seus braços? Posso apenas tocar os seus seios?'. Ela começou a negociar comigo. Eu só queria ir dormir. Ela começou a falar sobre a aparência dos meus seios e implorar para apenas tocá-los. A gente não teria que fazer mais nada. Eu estava tão cansada, confusa e tão chapada que apenas deixei acontecer. Isso levou ela a tocar todo o meu corpo. Eu nunca disse sim. Eu disse não, repetidamente. Mas ela usou o poder dela contra mim, e me quebrou. Só para não haver confusão, eu fui molestada pela minha amiga. Eu fiquei deitada em choque, sem dar reciprocidade à ação. O mais importante é: eu disse não. Por duas noites seguidas. Não importa se eu não resisti durante a ação. Eu fui controlada. Ela sabia que eu não queria, eu deixei claro. Eu não gritei com ela, eu não empurrei ela. Primeiro porque eu a amava, e segundo porque eu só queria que tudo acabasse.

Nós nunca mais falamos sobre essa noite novamente. Enquanto isso mexia totalmente com a minha cabeça, não teria maneira nenhuma que minha melhor amiga teria me estuprado… certo? Nossa amizade acabou, pois ela decidiu que não tinha mais tempo para mim. Para se preocupar comigo. Ela tinha que se preocupar muito comigo, estava atrapalhando ela.

Eu não sei como terminar essa história. Eu estava com medo da resposta que teria. A única razão de fazer isso agora é porque dado os eventos recentes as pessoas vão acreditar em mim. Se você duvidar dessa história de abuso, peço que imagine ela como sendo um homem. Garotas podem estuprar garotas. Amizade não é igual a consenso. Silêncio não é igual a consenso. Eu só gostaria que não fosse difícil me convencer dessas coisas."

Relembre canções de Melanie Martinez no Vagalume!

versão clássica © Vagalume Mídia Ltda